Memórias… OPA/2012

Aconteceu nos dias 21 e 22 de julho o XIX OPA (Oblatas, Parentes e Amigos), no Seminário Nossa Senhora da Assunção em Espírito Santo do Pinhal. O tema foi “JESUS, O CENTRO DA VIDA – Ontem, Hoje e Sempre”. Participaram 54 pessoas. Os assessores foram: Pe. Rogério Canciam (pároco de Valinhos) e Pe Jobson Belinato (Asuncionista/SP).

Iniciamos com a oração da manhã, reconhecendo Jesus como centro de nossas vidas.

 Pe. Rogério nos levou a refletir sobre os pensamentos, sentimentos, palavras, olhares e toques (imposições das mãos) de Jesus. Olhando para a cabeça de Jesus, refletimos sobre o que Jesus fez, a que Ele dava valor, o que nos questiona a pensar: Em que sonhamos? E somos orientados aqui a não nos preocuparmos com tanta coisa inútil, que nos tira a paz; não inquietar o nosso coração com o passado e nem o futuro tão incerto, mas vivermos nosso presente da melhor maneira, acreditando Naquele que é o centro de nossa vida. (Lc12, 22-32)

 Olhando para o coração de Jesus, somos convidados a nos entregar a esse Deus que é Amor; a entregar pra Ele nossos fardos (auto-aceitação). Nos convida a dobrar os joelhos para que outros permaneçam de pé; e certamente se estamos em pé é porque outros já dobraram os joelhos por nós. (Mt 11,28-30; 22,34-40)

Olhando para a boca de Jesus, fomos levados a pensar em quais palavras Jesus mais pronunciou. Refletimos aqui o chamado ao seguimento e as bem aventuranças, a palavra que ficou foi de sermos “imediatos” a responder ao compromisso com Jesus, não deixarmos sempre pra depois. (Mt 4,17-23; 5,3-12) Também destacamos as palavras de Santa Tereza D’Ávila “Na paciência tudo a gente alcança!”. E também: O mal existe, porque é ausência do bem, quanto mais me aproximo do bem, mais me afasto do mal.

Observando os olhos de Jesus, percebemos como estão fitos em nós. Ele nos lança um olhar cheio de compaixão. Nos ama por inteiro, nos convida aqui a exercitarmos esse amor, que por tantas vezes exclui o outro ao perceber que não é bem aquilo que gostaríamos que fosse. (Lc 22,60-62 / Jo1,41-42)

 Já as mãos de Jesus nos faz lembrar o toque Dele sobre as pessoas, as imposições que curavam, davam conforto ao abatido, aliviava o cansaço e dava ânimo ao desanimado, curava o doente dos vários tipos de enfermidades.Ele não fazia distinção entre as pessoas. As pessoas que se aproximavam Dele, se sentiam tocadas e eram transformadas. Nós também podemos nos deixar envolver por esse amor de Jesus e transformados, usar nossas mãos para promover a dignidade daqueles que caminham conosco, suavizar os vários tipos de dores que encontramos.(Mt 9,18-31)

 Em outro momento refletimos sobre os pés de Jesus, os caminhos que percorreu, os lugares visitados, os esforços realizados para cumprir sua missão, as metas que tinha. E nós onde nossos pés já nos levaram e quanta história cada um traz em si? (Mt 9,35-38)

Fomos convidados a lembrar o gesto de Jesus com seus amigos e nós ao participar desse rito, lembrar as pessoas que não podemos mais demonstrar um ato de carinho, arrependimento (aquelas que já se foram para junto do Pai), ou aquelas pessoas que gostaríamos de dizer algo, abraçar, que estão longe de nós. Lembramos que cada gota de água ali naquela bacia representava história de vida, caminhada percorrida…E que devemos ter este gesto no dia a dia, nos colocar a serviço, exercer a gratuidade.

Fomos para um momento orante, onde se destacou a dinâmica da luz, onde trocamos as tantas pedras que trazemos em nossa vida (falta de paciência, intolerância, falta de fé…) pela luz de Jesus.

No domingo Pe. Jobson, falou um pouco sobre sua experiência no Equador, as crenças do povo, as benzedeiras…e fez relação com as curas de Jesus  e como nós também fomos chamados desde o batismo a sermos continuadores de suas obras. Também nos falou sobre nosso comportamento, quantas vezes não nos assemelhamos aos gestos de Jesus, quantas vezes deixamos os nossos corações tão descuidados, cheios de mágoa, culpa…; quantas vezes nos falta sentido de vida! A cura em primeiro lugar tem que ser desejada, a cura mais importante é a de si mesmo.

Em grupos refletimos sobre algumas passagens bíblicas: Exorcismo: Mt 17, 14-21 / Lc 11,14-15; Cura de Jesus: Mc 2,1-12; 9,1-8 / Mt 8,14-15; Milagres da natureza: Lc 5,1-11 / Jo 21,1-14.

Concluímos que Jesus tem autoridade sobre todos os males, precisamos aumentar a nossa fé, nos entregar a Ele, confiando sempre em sua palavra, exercitarmos a oração, nos libertar de nossos demônios, das paralisias do nosso dia a dia, para assim podermos nos colocar a caminho e promover a libertação daqueles que encontramos ao longo de nossa vida.

Finalizamos nosso encontro com a Eucaristia, presidida por Pe. Jobson, onde colocamos no altar do Senhor o agradecimento por mais um OPA, as intenções pelas almas do irmão do pe. Jobson e do nosso querido amigo Sr. Pedro Modesto; a renovação dos votos da leiga associada com promessa Ana Regina, juntamente com as preces trouxemos tudo aquilo que nos impede de caminhar livremente e nos assemelhar um pouco mais com Jesus, o sentido de nossas vidas. (Cristiane – Campinas/SP)

Ver   fotos

Anúncios

3 pensamentos sobre “Memórias… OPA/2012

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s